domingo, 27 de fevereiro de 2011

Marginaliaria a Milhão

O projeto Marginaliaria esta a milhão, apesar do problemas que sempre existiram, ontem, dia 26/02 foi um dia monstro, pela manha, fomos construir uma melodia para os adolescentes da fundação casa, baixa, bateria, guitarra e percussão e criaram um Funk (miami bass memo) com uma finalização de samba enredo!
Vai vendo, só desafios!
Saimos de lá voados e fomos apresentar a cenopoesiamusicada marginal em uma finalização de um seminário de formação política, o Sintaresp, apresentamos pra um publico que é bem centrado politicamente (militantes do PSOL) que curtiram bastante a apresentação! E como os arte educadores em questão são os do marginaliaria, botando fogo no pavio do sistema, ele também se fez presente, pra encerrar, uma viatura policial apareceu pra mandar parar com o role! mas ja tínhamos acabados.
Zé povinho é mato, no centro é selva!
Saimos de lá voado pra representar num Sarau que estamos sempre presente quando solicitado, o SARAU DOS MESQUITEIROS, na comunidade de Ermelino Matarazzo.
O mano e parceiro henrique mandou ver no baguio e representou o time!

É loko o baguio hem, arrepia na hora, 
Henrique do marginaliaria apavora!

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Senhoras e Senhores... Débora Garcia

Vai vendo, as vezes as coisas acontecem de forma estranha, irritante e preocupante...


Mas não sou eu quem me navega, quem me navega é o Mar...só piloto o bonde!


Chegou uma "Mina Zica", monstra no corre, já tinha um trabalho de militância cultural em Suzano e agora vai trazer essa experiência toda para o Projeto Marginaliaria e para a rede Cultura da ZL...
Senhoras e senhores, jovens e velhos, brancos e negros, pobres e... Pobres!
Poetisa, escritora, assistente social, agitadora cultural, negra e... cantora!
Débora Garcia


Seja bem vinda ao Projeto Marginaliaria.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

O Timoneiro.



Não sou eu quem me navega, quem me navega é o mar...

Sou o frente
o capitão
dirijo o timão
não sou eu quem comanda os ventos, as correntes marítimas e as condições climáticas de navegação
Sou naturalmente piloto, mas não sou o dono do Mundão

Não sou eu quem me navega, quem me navega é o mar

Capitães abandonam o barco em meio a tempestade
Diz-se que este é o meu sonho, não o seu, e é verdade
Não é o seu!
Porque dos que continuam a remar e compõem o contingente do navio continuam a socializar sonhos
E vários preferem capitalizar vidas
Corrida de ratos, quem mais vai pular?

Não sou eu quem me navega, quem me navega é o mar

Sou o proponente
nem sempre contente mas de cabeça erguida
sigo em frente
Vou tentar aprender com os meus erros mas se não aprender não paro de andar
Pra guerreiros leais e verdadeiros como eu, oportunidade não vai faltar
É por isso que to desde os 16 nessa porra e continuo sempre a crescer
O meu destino? As estrelas!
Desacredita então pra ver
Elas são minhas guias nas noites frias de tempestade
há noites que elas não aparecem, mas nem por isso deixam de me guiar na verdade
Já falei uma e milhares de outras falarei

Não vim nessa porra pra ser Servo... vim pra ser REI.

"Não sou eu quem me navega, quem me navega é o mar"...(Paulinho da Viola)

Andrio Candido

É o Teste...

Mais uma perda recente, desta vez foi o parceiro e amigo, André Putini.
A vida tem necessidades imediatas, grana, e infelizmente as vezes temos que fazer escolhar por conta de dinheiro.
O parceiro André Putini fez a dele e não compõe mais o projeto marginaliaria, arrumou um trabalhoq ue vai trabalhar de domingo a segunda, anoite!


Irmão, meus sinceros respeitos ao ser humano que você representa, leal e amigo, capaz.
Esta é a palavra que consigo de imediato para definir André Putini... capaz.


Irmão, quem sabe um dia nossos trilhos da vida não se cruzam novamente!



"Mas o bonde não para..so quem ta formado no bonde que bota a cara" e ja temos uma nova vocalista...em breve anunciamos este nome de peso que é poetiza, cantora, militante do movimento negro de Suzano e corre pela associação Literatura no Brasil.
Aguardem...

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Outra forma de fazer...

São Paulo, 10 de Fevereiro de 2011

Carta aberta ao Coletivo Cultural Projeto Marginaliaria

Assunto: Abandono de funções

À todos que possam interessar, eu, Andrio Candido Ferreira, membro deste coletivo cultural, viso objetivar com esta que:

1 Jamais deixei que assuntos pessoais interferissem no meu trabalho dentro deste coletivo, pelo contrario,  as responsabilidades que foram “naturalmente” incumbidas a min acabaram por interferir nos meus relacionamentos inter-pessoais.

2 Não pretendo de forma alguma deixar as atividades deste coletivo cultural, mas sim, re distribuir as suas responsabilidades, tornando assim, mais funcional aos moldes da sociedade em que vivemos num modo de produção henryfordiana.

3 Deixo explicitas as responsabilidades que executava cumulativamente e que se não fossem executadas por min, ficariam sem execução como de veras ocorreu, e deixo claro que, se não forem executadas por outrem, por min não serão mais.

-        Produção de ensaio da Cenopoesiamusicada.
-        Divulgação de trabalhos nos sítios da internet
-        Comparecimento em reuniões de organização político cultural da região leste
-        Manutenção dos sítios do coletivo na internet
-        Redação e elaboração final de projetos cultural de representatividade jurídico financeira visando financiamentos as atividades do mesmo
-        Relações político culturais
-        Relações artístico culturais
-        Relações culturais

4 Deixo explicito que não estarei com a responsabilidade de viabilização de projetos que por ventura vierem a correr, ou que já estejam em andamento, discutidos com parte do coletivo e ainda não apresentados a todo o coletivo.

5 A partir da entrega e leitura desta carta, aviso que o não cumprimento de tais funções que eram cumulativamente realizadas por min, desencadearão a extinção deste coletivo, e desde já, deixo claro que esta não é a minha intenção, porem não desejo mais assumir todas estas responsabilidades que estão neste momento atrapalhando as minhas relações interpessoais e nunca tive o objetivo de abandoná-las, tão pouco o coletivo.

6 Não há neste coletivo cultural, nenhuma criança ou ainda, pessoa com idade inferior a 18 anos, logo, saindo da posição de “Proponente Funcional” deste coletivo, espero que o mesmo não se desfaleça, pois se tal fato ocorrer, provarei a min mesmo que estava errado mais uma vez e que estive o tempo inteiro lidando com crianças.

7 Proponho-me a permanecer na organização do projeto encaminhado para representatividades jurídico financeira, VAI, porem se o coletivo deliberar que não é mais interessante que eu permaneça nesta, deixo o mesmo a disposição mediante a alteração legal se o mesmo for aprovado.


8 Me predisponho a auxiliar em quaisquer dificuldades que possam existir para o cumprimento destas funções, mas não as  farei por ninguém, uma vez que todos os membros, dispõem de todas as faculdades mentais, motoras e psico-sociais.

9 Proponho que as funções efetuadas por min sejam re distribuídas, e outras que já não vinham sendo cumpridas passem a ficar a cargo de outros que não dispunham de responsabilidade alguma com o coletivo, e como não é do meu feitio fazer as criticas sem apresentar possíveis soluções, seguem algumas sugestões:

André Putíni – Relações Político Culturais – comparecimento e representação do coletivo em reuniões presenciais ou virtuais com membros do poder publico, privado, setor organizacional, sociedade civil, bem como o cumprimento das prerrogativas para que o coletivo seja membro da Rede de coletivos culturais Cultura da ZL.

Amauri Xavier – Produção de ensaios da CenoPoesiaMusicada – organizar os ensaios para as apresentações e empenhar palavra junto ao dono do estabelecimento, bem como fazer ou fazer com que seja feito o contato avisando todos os integrantes do coletivo com antecedência mínima de três dias.

Andrio Candido – Representatividade jurídico financeira -  caso o projeto encaminhado pelo coletivo seja aprovado, bem como o cumprimento do mesmo – DVD e apresentações.

Eliezer Manoel – Produção do Cine rua do crime - Viabilizar sua produção, fazendo os devidos contatos, acordos e favores, organizando e pensando formas de melhor organizar uma mostra áudio visual, bem como convidados, divulgação , assento, transporte de equipamentos e organização do mesmo junto aos convidados membros da REDE Cultura da ZL.

Henrique – Manutenção dos sítios da Internet,divulgação dos trabalhos do coletivo e relações artístico- culturais – Organizar, publicar e divulgar o plano de divulgação do coletivo, de todos os projetos, bem como fazer a sua manutenção em todos os espaços e plataformas da internet. Entrar em contato com outros coletivos e ou empresas para efetivarmos possíveis somas/apresentações da CenoPoesiaMusicada.

Leandro – Produção do documentário sobre JD Helena – Formatar o projeto, organizar, viabilizar, fazer os devidos contatos e acordos/favores políticos para viabilizar a produção do Documentário, filmá-lo editá-lo e apresentá-lo.

Débora Garcia e Fabiano – Compreendo que houveram poucas oportunidades de ambos participarem nas diversas atividades e proponho que ambos auxiliem a todos no que for necessário para todos.

10 – A re-organização das frentes de atividades não significa que outros membros que não são responsáveis pela organização daquilo, não possam auxiliar outros em suas tarefas, não é este o espírito do coletivo, onde todos participam de tudo na medida do possível, a idéia é que com a re-organização, as responsabilidades sejam divididas e efetuadas, provando oque outros que já fizeram parte do coletivo ao saírem disseram: - O Andrio é o Projeto sozinho, se ele sair aquilo acaba, os outros só querem colher os louros da vitoria. Eu não concordo com esta concepção e nem com este comentário e devido a diversos problemas que ocorreram no meu lar, este é o momento oportuno para mostrar que estavam errados.

Desde já agradeço a colaboração e entendimento de todos.
Andrio Candido Ferreira    

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Pra quem tava afim de ver uma das minhas poesias musicadas tá ai a primeira que escrevi a alguns meses!!!!!!!!!!!Chamada "?".

______________?

Como pode alguém te definir antes de você?
Como pode alguém te dizer o que fazer?
Como pode você,aceitar essa situação?
Branco,pardo,mulato,amarelo,negro.
Em qual você se encaixa?
Em qual você se deixa encaixar?
Qual destes você vai ser?
O Branco?
o embranquecimento ainda é tão forte
que faz todos parecerem errados.
Ser pardo,é ser pagão para o branco,
Ser mulato,é ser carnavalesco para o branco,
ser amarelo,é comer crú.E para o branco,você é o que come.
E ser Negro?
É ser marginal
visão putrificada do branco
que vive na marginalidade da ignorância,
na beira do vazio e do...
"conquistador que pensa ser".
No fim cansei do VOCÊ!
Vou falar sobre eu.
O que eu sou?
dentre esses eu não sei,
dentre os meus...
Sou...sou...
Branco comédia,
Pardo devoto,
Mulato malandro,
Amarelo conquistador,
E NEGRO!!!
Negro...LUTADOR...
EU SOU!


André Putini.



terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Mudanças

É com muito pesar que a companheira e amiga, Caroline Fagundes -Caruh , deixa as atividades do coletivo Cultural Projeto Marginaliaria.
Poucas palavras pra defini-la : Guerreira, Sincera e leal.
Ela decidiu trilhar outros caminhos e nós que aqui estamos, continuaremos a perseguir um sonho, o nosso sonho de transformar através da arte.
Nos do Marginaliaria desejamos toda a sorte do mundo pra esta amiga e guerreira que tanto nos ensinou e nos ajudou na nossa curta, mas real caminhada.
Boa Sorte Negra!Nossos sinceros respeitos ao ser humano que é Caroline Fagundes - Caruh


E o Bangue continua, 2011 é o ano do Marginaliaria, e nada melhor pra começar o ano do que desafios monstros:
Procura-se uma Vocalista,
Requisitos: Noções básicas de Canto e Teatro.
Influencias musicais e teatrais do coletivo: Blues, Jazz, Reggae, R&B, Rap e Rock.
Proposta: Integrar o coletivo e cooperar nas diversas atividades culturais e políticas que o mesmo já se encontra envolvido.
Planos : Gravação de um DVD ao vivo no Mês de Junho e realização da ação cultural no Jardim Helena, além de diversas apresentações, programadas ou não, remuneradas ou não, de acordo com a disponibilidade de todos os membros do coletivo.


Que venha o novo membro do Marginaliaria, espaço pra somar e se encantar com o reino mágico chamado Periferia tem, o que falta é você que vira com NÓIS!


Andrio Candido